Produzindo e fornecendo ao mundo LNG Angolano de forma segura

Abastecimento de Gás

 

Angola é membro da OPEP, sendo segundo maior produtor de petróleo da África Subsaariana, tem provado ser um dos hotspots de exploração de petróleo do mundo, com produção média de 1,7 milhões de barris por dia em 2013 que deverá aumentar. O governo angolano concessionou direitos para realizar operações petrolíferas a companhias petrolíferas internacionais, incluindo a BP, Chevron, ENI, ExxonMobil, Petrobras, Statoil e Total.

Grandes quantidades de gás natural associado são produzidas como resultado dessa produção de petróleo. No passado, o gás natural era visto como um subproduto inútil, dado que o seu aproveitamento era proibitivamente caro. No entanto, com a evolução tecnológica o gás natural responde agora por 22% do consumo de energia do mundo e a sua procura está a crescer.

Uma fonte de energia amiga do ambiente e eficiente, o gás natural é o combustível fóssil de queima mais limpo, produzindo níveis de emissão de gases de efeito estufa mais baixos do que combustíveis como o carvão e o petróleo. O gás natural é também uma das fontes de energia mais económicas. Combustíveis produzidos a partir de gás natural são usados ​​em centrais de produção de energia eléctrica, aquecimento de edifícios, veículos e pode ser usado como matéria-prima em muitos produtos de consumo em plástico.

Com uma expectativa de vida útil de pelo menos 30 anos, o Angola LNG é abastecido de gás a partir de uma gama diversificada de fontes. A fonte primária será inicialmente gás associado do offshore, das operações petrolíferas dos blocos 15, 17 e 18. Posteriormente será estabelecida ligação aos blocos 0 e 14 e, mais tarde, aos blocos 31 e 32. O Angola LNG irá também desenvolver e produzir gás não associado a partir de descobertas dedicadas, em função das suas necessidades, nas áreas dos blocos 1 e 2.

A utilização de gás associado como principal fonte de abastecimento diferencia o Angola LNG dos outros projectos de gás, que tendem a usar gás não associado. Como resultado, a sua fábrica irá contribuir significativamente para a eliminação da queima de gás em Angola, permitindo o desenvolvimento das reservas de petróleo do offshore de forma ambientalmente sustentável.

VOCÊ SABIA?

A concepção do Projecto permite que uma rede de gasodutos transportem gás não-associado (NAG) a partir de campos de águas rasas para utilização futura na Planta.