Produzindo e fornecendo ao mundo LNG Angolano de forma segura

A Planta

 

O Angola LNG construiu as instalações de processamento de LNG mais modernas do mundo. Estão localizadas a 350 km a norte de Luanda, capital de Angola, na foz do rio Congo no Oceano Atlântico. A planta localiza-se numa área de 240 hectares na Kwanda, uma ilha no estuário do delta do rio Congo, que foi construída como base de abastecimento e de apoio às operações de petróleo e gás do offshore angolano.

O Soyo foi escolhido pelo seu potencial de desenvolvimento futuro e pela sua proximidade aos campos petrolíferos do offshore, donde provem o gás natural para a planta. Os estudos de impacto ambiental concluíram também que a construção da planta no Soyo terá reduzido impacto ambiental e socioeconómico, o que tem sido uma preocupação elementar, durante todo o desenvolvimento de Angola LNG.

O gás natural chega à planta através de uma rede de gasodutos e é primeiro tratado para remover os contaminantes, incluindo dióxido de carbono, água e mercúrio. Este processo não só purifica o gás, mas também remove qualquer impureza que possa interromper e bloquear na planta durante a refrigeração.

Gases mais leves, tais como propano e butano são extraídos de forma a serem comercializados separadamente ou utilizados mais tarde no processo de refrigeração. O gás tratado é então arrefecido, aproximadamente a 160 ° C negativos (-260 ° F), em permutadores de calor sucessivamente mais frios que usam gás propano, etileno e metano como refrigerantes para produzir gás natural liquefeito (LNG). Este LNG é então bombeado para tanques de armazenamento termicamente isolados antes de ser exportado numa frota de navios fretados a longo prazo, para compradores de todo o mundo.

A planta do Soyo está projectada para processar 1,1 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia e tem capacidade para produzir anualmente 5,2 milhões de toneladas de LNG, para além de gás natural, propano, butano e condensado.

A planta representa um passo importante no uso eficiente dos recursos naturais de Angola e possui uma força de trabalho que agora está dotada de experiência em todas as vertentes da produção de LNG, na construção da planta, nas operações de arranque e teste e na logística.

A infra-estrutura da planta inclui tanques de armazenamento de LNG, propano, butano e condensado e um cais de carga de LNG que pode acomodar navios com 315m de comprimento.

Por razões de fiabilidade, o processo de produção baseia-se num conceito de “de dois trens em um”, o que possibilita que a fábrica continue a trabalhar mesmo com o compressor desligado, permitindo assim uma significativa disponibilidade fabril.

VOCÊ SABIA?

A Angola LNG já vendeu e expediu, em segurança, carregamentos para compradores de renome em diferentes partes do mundo.